sábado, 28 de março de 2009

SÁBADO, COMPRAS Bis COZINHA

Hoje fizeram-se as compras habituais, almoçou-se umas pescadinhas fritas de rabo na boca, com arroz, uma saladinha e ainda uma doce sobremesa de leite-creme (oferta de uma simpática vizinha, que gosta de me surpreender por vezes com estes gestos).
A um pouco da tarde estava destinada a limpar a cozinha, virar tudo do avesso, lavar azulejos, armários, exaustor e todos os tachos panelas e outros utensílios, verificar a despensa e limpar as prateleiras, bem um trabalhão para quem queria descansar, mas está feito e não penso mais nisso durante o mês que vem.
O resto da tarde foi ver um pouco de TV.
Telefonaram-me para ir jantar fora, decidi que podia ir, também não estava muito virado para faze-lo.
Foi agradável, éramos quatro pessoas todas bem dispostas onde um animado dialogo imperou, passei um bom serão relaxando.
Agora vou deixar algo para lerem.
O Livro dos Amantes I
Glorifiquei-te no eterno.
Eterno dentro de mim
fora de mim perecível.
Para que desses um sentido
a uma sede indefinível.

Para que desses um nome
à exactidão do instante
do fruto que cai na terra
sempre perpendicular
à humidade onde fica.
E o que acontece durante
na rapidez da descida
é a explicação da vida.


O Livro dos Amantes II
Harmonioso vulto que em mim se dilui.
Tu és o poemae
és a origem donde ele flui.
Intuito de ter. Intuito de amor
não compreendido.
Fica assim amor. Fica assim intuito.
Prometido.

O Livro dos AmantesIX
Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na carne dum segredo.
(Natália Correia)
Um Pouco de Amor
Não, não me esquecerei de ti
Não enquanto o mundo não chegar ao fim
Não enquanto o olhar se perder no céu
À procura duma estrela, à procura de ti
Nem que sejam precisos mil anos
Nem que tenha de reincarnar num outro eu
Como um verdadeiro vampiro
Pois ele só quis um pouco de amor
Eu daria a alma em troca desta dor
Quem me arde por dentro num fogo eterno
Que me gela o coração dum inverno
Mais frio que o gelo
Mais gelado que o vento
À procura dum destino
Num mundo sem sentido
Eu daria a alma em troca desta dor
Pois eu só quero um pouco do Teu AMOR
(Desconhecido)
Fiquem bem, um explendido Domingo.

5 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO LUÍS, TAMBÉM ACEITEI UM CONVITE DE UM AMIGO PARA JANTAR FORA... E FOI AGRADÁVEL... E TIVEMOS AO MESMO TEMPO A VER FUTEBOL, O PORTUGAL-SUÉCIA, O RESULTADO É QUE PODERIA TER SIDO MELHOR... FICOU 0-0 ... MAS GOSTEI...
UM GRANDE ABRAÇO DE AMIZADE E CARINHO,
FERNANDINHA

Pelos caminhos da vida. disse...

Como a diarista veio ontem,hoje não precisei fazer nada,sai pra almoçar fora,e o resto da tarde fiquei em casa vendo tv,descansando um pouco.
Um gde abraço e um gde domingo de primavera pra vc amigo.

beijooo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Voltei!!

Tem selinho la pra vc.

Bom domingo.

beijooo

Val disse...

Bom dia Luis,que bom esta do jeito que você gosta sua casa.È muito bom sairmos com os amigos e ter uma noite agradavél,que bom que você se divertiu.
Parabéns pelaas escolhas do poemas são lindos.Depois volto para ver o que ira postar sobre hoje.Aproveite bem o seu domingo Luis.
Beijos com carinho

Paula disse...

Boa tarde,
Arrumações??? Ai, ai...
Eu é mais pinturas..as arrumações é já a seguir:)
Beijos,
Paula