quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

VIAJAR, CONHECER, EXPLORAR...

Decidi ir fazer uma coisa diferente este fim de ano pessoal amigo, como disse queria algo diferente e é o que vou fazer.
Vou sair sozinho e descobrir mais um pouco deste Portugal.
A viagem tem de certa forma algo diferente das outras, as incógnitas são muitas e a curiosidade do diferente, de algo especial que me foram contando ainda aumenta as expectativas do que poderá acontecer.
Penso que aconteça o que acontecer, esta será uma aventura que marcará mais um pouco a minha vida.
Como devem perceber eu não posso dizer, onde e o que vai se passar, mas terei depois oportunidade de comentar algumas peripécias da viagem.
Desejo que todos tenham um esplêndido Fim de Ano, que a entrada seja, em pé ou deitada, corra da melhor forma possível, cheia de pensamentos e reacções que engrandeçam a vossa felicidade no seio desta vida que deveria ser sempre de festividade e divertida.
Bem pessoal amigo fiquem bem, fico por aqui e espero que o meu regresso traga uma grande euforia e vontade de viver mais um ano em plena actividade.
Que o Mundo seja generoso para todos vocês, se assim for estarão sempre contentes.

domingo, 28 de dezembro de 2008

QUE DIA CALMO, ATÉ DEMAIS...

E foi mesmo um Domingo calmo, já á muito que não vi a tv ou ouvia rádio tanto tempo, não me apeteceu sair e fez-me muito bem relaxar e por certas coisas em ordem na minha mente que anda muito atarefada em dar-me trabalho, pois muitos pensamentos assumem posições sem eu os desejar.
São assuntos que de certa forma já não assolavam há muito na minha cabeça e são daqueles que teimam em permanecer e deixa-me nas nuvens, confundindo as minhas intenções de futuro próximo.
Tudo se resolverá e continuo a viver e muito feliz.
Está visto, é melhor deixar de divagar e deixar algo para vós.

""ACASO""
Será por obra do acaso
que as pessoas se encontram?
Acredito que não,
Algo as atrai.
é a quimica comum,
que as prende e encanta.

Ideais iguais
transmitem serenidade.
Pontos de vista diferentes
chegam até á verdade.

E assim se vão
relacionando e crescendo
num clima de afinidade
e grande complicidade.
Como se de um alma gémia
se tratasse.

O acaso deixa de ter sentido
é um amor assumido.
Que perdura no tempo.
(Autora: "FILO")
Bem fico por aqui e, pessoal tenham uma bela semana de felicidade com uma festa de arromba no Fim de Ano, divirtam-se e cuidado com os excessos (todos) ah, ah, ah. Entrem bem no Novo, são os meus desejos.

sábado, 27 de dezembro de 2008

É CEDO MAS O DIA ESTÁ CINZENTO E...

Que dia, fui ás compras e a cidade parece deserta, se vi 50 pessoas foi o máximo, andei bastante na baixa e eram raras as pessoas.
Fui ao Mercado Municipal buscar pescada, fui ao Pingo Doce buscar o normal necessário mais uns camarões e fui a uma churrasqueira buscar um frango assado.
Em todo lado os vendedores queixavam-se de tão fraco negócio, uns atiravam para o frio que se faz sentir outros a crise, mas que deve ser difícil deve, ter uma casa ou negócio assim, está tudo ás moscas e nem essas existem agora.
Bem mas esquecendo isso, eu também estou um pouco em baixo e ainda por cima não percebi bem o que me incomoda, pois aparentemente não tenho razões para tanta nostalgia, mas como em todas as coisas há uma solução, ela vai aparecer, neste momento ficar em casa é o melhor.

Assim, do Pingo Doce vieram uns camarões tigre que eu irei preparar para jantar, já que terei cá o meu irmão e a minha sobrinha, pois é mais uma receitazinha.
INGREDIENTES:
9- Camarões Tigre
- Azeite
- Limão
- Sal
- Pimenta
---MOLHO---
6-Alhos
6- Tomates
2- Malaguetas
3- Colheres de chá de Caril
3- Colheres de café de gengibre fresco e picado
12- Colheres de sopa de azeite
---CONFECÇÃO---
Abrir os camarões e limpá-los. Tempera-se com limão, sal e pimenta. Passada uma hora colocam-se sobre a grelha quente e assam-se rapidamente.
Entretanto frita-se no azeite os tomates cortados em cubos, junta-se com as malaguetas e os alhos picados.
Já fora do lume acrescenta-se o caril e o gengibre.
Serve-se logo quentinho, os acompanhantes podem ser variados ao gosto do pessoal, eu faço um pouco de arroz solto e salada variada.
Agora para o café e chocolate, um bom filme e…

ALEGRAI-VOS!
Vivei sempre alegres, orai sem cessar,
dai graças em todas as circunstancias
pois é esta a vontade de Deus a vosso
respeito em Cristo Jesus. Não apagueis o
Espírito, não desprezeis os dons
proféticos; mas avaliai tudo conservando
o que é bom.

E hoje é tudo amigos desejos de que tudo tenha corrido ás mil maravilhas, que a alegria, amizade e carinho tenha sido uma constante nesta época, Preparai as entradas do Novo Ano, que este se apresente sorridente. Até breve, sorrir sempre contra as adversidades.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

E MAIS UMA SEXTA-FEIRA E...

Depois de uma semana atarefada, na procura de arranjar tudo em relação ao trabalho e ás prendas para oferecer aos mais próximos, que deu uma trabalheira e meia, tudo correu bem embora stressante foi compensador.
È sempre obrigatório os encontros com a família e amigos.
Tudo correu na normalidade e foram mais uns bons momentos de paz e harmonia, as refeições foram as normais desta região beirã, que se preparam para a época, não houve exageros de ingestões, mas eu não sou muito dado ao álcool, pois só bebo em algumas festas, bebi pouquinho mas hoje dói-me a cabeça á brava, ah, ah, ah.
Amanha já estarei bem, isto é se conseguir resistir á pressão exercida pela mesa, que continua a ser uma bela visão de sabores irresistíveis.
Bem, hoje fica assim e espero que todas as pessoas tenham tido algo de extraordinário neste Natal, continuação de Festas Felizes, são os meus votos para tenham uma bela e agradável vida.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

FESTAS FELIZES PARA TODOS…

Que esta data seja sempre vivida em harmonia e felicidade, na companhia de todos aqueles que adoramos na sociedade deste belo Mundo.
Para que saibam sempre, serei eternamente vosso amigo enquanto o desejarem, pretendo sempre alegrar-vos e falar de situações que ponham um pouco de ânimo, na minha e na vossa vida, que pode e deve ser sempre muito bela e saudável, se assim for o nosso desejo, conseguiremos alegrar este pequeno espaço que ocupamos no Universo.
Votos para que todas as pessoas possam ter alguma coisa, mesmo que seja muito pequena, esta tenha um enorme significado para elas,
Voltarei com mais tempo.
Parentes, Amigas (os) e Conhecidas (os).
Boas Festas Para Todos.

sábado, 20 de dezembro de 2008

MAIS UM DIA FORA DA...

Mais um dia fora da previsão, tive de ir á empresa do meu irmão ajuda-lo por causa do excesso de trabalho que tem nesta altura do ano.
Mais um dia de descanso perdido, mas é a vida e ele merece o meu apoio sempre.
Mas vou falar de outra coisa, pois parece que o amor é capaz de andar muito por perto das pessoas e isso é muito bom.
Ao andar por certos locais vejo que se pode encontrar alguém para se ter verdadeiras paixões e de grande carácter humano em todos os aspectos.
Encontrar alguém que seja especial para nós é deveras difícil, alguém que vá de encontro dos nossos desejos e que nós possamos proporcionar-mos os mesmos a elas.
O Cupido paira sobre a Terra.
È bom sentir que a felicidade anda no ar, que existem ainda muitos lindos valores que não se perdem, que sempre ao longo dos tempos se vão alterando, mas sem perderam o verdadeiro sentido de um amor entre duas pessoas, na plenitude da perfeição e das emoções maravilhosas que esses momentos dão.
È lindo sentir esse calor e alegria espalhada no rosto de alguém que está apaixonado, cometem-se atitudes impensáveis e irracionais momentâneas, muitas sem nexos, mas que fazem todo o sentido na altura, muitas felizes vezes perduram para toda a vida do casal em questão.
Nunca é tarde demais para encontrar o nosso Amor, digo-vos que é verdade pois eu sei o que sinto quando vejo isso a realizar-se em alguém que já quase tinha desistido de o encontrar.
Hoje não há receita mas há café sobre o bolo de chocolate.
A Busca
Busquei em rostos e sorrisos,
Procurei em festas e florestas,
Percorri caminhos e trilhas,
E quando pensei que não mais
Encontraria minha alma gémea,
Minha felicidade,
Eis que surgiu à minha frente
O motivo de minha busca.
E como uma criança pura
E inocente, me entreguei
Por completo a ti.
E como um anjo celestial
Iluminou minha estrada
Renovando em mim um novo espírito
Ensinando-me a difícil Arte do Amor.
Juntos vivemos todas as emoções possíveis
Crescemos com nossos sentimentos
Compartilhamos tristezas e alegrias.
Não somos apenas mais um casal,
masAmigos, amantes, cúmplices e Namorados.
(Autora Erika de Lazari )
Fiquem bem e não se esqueçam o amor é e sempre será o maior sentimento de felicidade e união.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

CÁ ESTOU EU DE VOLTA PARA…


Mais um belo fim-de-semana já à muito desejado, principalmente desde ontem, que começou bem pela manhã e depois foi só piorar até eu chegar a casa ás 19 horas de hoje, sexta-feira.
Ele existe responsabilidades que deveriam ser opcionais, tais como ir a palestras de três horas seguidas, já conto com duas e segundo parece não vai parar por aqui, bem basta o cansaço auditivo que já é tão grande que o cérebro não consegue assimilar o que se ouve, pois este começa a delirar e a emitir sensações de aborrecimento e imaginar outras coisas não muito próprias para os momentos.
È destas que eu gostaria de me poder livrar, cada um deveria poder ter acesso aos temas de outra forma, individual ou em conjunto, mas em que as explicações dos temas não fossem tão extensas, como o são, parecendo que uma viagem de Quarteira para Guarda, tem de se ir ao Porto para lá chegar.
Depois existem níveis de conhecimentos, estes são dados em conjunto para todos, assim sendo os que já estão familiarizados com os últimos níveis são obrigados a ouvir os primeiros novamente.
Bem não é propriamente uma boa fase da minha vida, mas que fazer se não seguir uma das minhas regras mentais “ daqui a uma semana já esqueci o tempo passado ou perdido”
Vamos mas é à: RECEITA, que é mais saborosa.
BACALHAU RÁPIDO
Deitam-se, num tacho rodelas de cebola e cenouras, bocadinhos de batatas e de bacalhau, tudo cru, um raminho de salsa e de coentros, pimenta e colorau (a gosto).
Cobre-se com um bom azeite e água em partes iguais, vai refogando, mexendo-se “SÓ” o tacho até o refogado estar pronto. Come-se de seguida.

Para a sobremesa uma leitura.
Um poema sobre nada
Às vezes a imaginação caminha na neblina

Descalça, tacteia o chão
Tropeça nos degraus do esquecimento
Cautelosamente aprecia o anonimato
Divorcia-se de todas as referências
Aspira a uma sublimação minimalista
Perde-se na vastidão do silêncio
Apenas encontra cinzenta abstracção
Excita-se na presença da monotonia
Grita por um tédio mundano
Os olhos bebem a escuridão
Testemunha a nudez das palavras
Sorri para folhas em branco
Festeja o vazio das pampas
Dança na invisível turbulência do ar
Anseia pelo vácuo sideral
Desfruta do supremo prazer do nada.
(Autora; M. Daedalus)
Bem por hoje é tudo, vou tentar descansar muito e pessoal, se poderem façam o mesmo e libertem-se das cargas impostas.

domingo, 14 de dezembro de 2008

MAIS UM DIA VIVO E FELIZ…

Nesta vida o que se leva melhor é saber aproveitar os momentos de felicidade, sejam eles quais forem, com quem forem e aonde forem, desde que sejam momentos agradáveis, que mantenham a mente ocupada, ao mesmo tempo livre de ser o que se desejar na realidade desse momento, faça com que esteja em plena harmonia com o universo, onde se desenvolva esse próprio e único momento de liberdade.
Seja em casa, no campo ou na cidade, existem sempre locais propícios para estar e realizar acções que proporcionem bons momentos, apenas terá de haver uma mentalização interior de que existem pequenas ou grandes boas coisas dentro e fora de nós mesmos, estas sim devemos agarrar e expandi-las ao nosso ambiente, assim tornando-o num local maravilhosamente feliz de se estar, viver e conviver.
Há que deixar o pessimismo para trás, não é ele que dá forças, o que dá forças é um sorriso de alegria ao sentir que se está vivo e que se pode demorar a vencer alguma vez na vida, isto para ganhar um desejo de algo á muito desejado, mas a alegria tem uma força muito maior do que uma constante lamentação.
Vamos ficar com esta leitura.

Alegria
De passadas tristezas,
desenganos amarguras
colhidas em trinta anos,
de velhas ilusões, de pequenas
traições que achei no meu caminho...,
de cada injusto mal,
de cada espinho que
me deixou no peito a nódoa escura

duma nova amargura...
De cada crueldade
que pôs de luto a minha mocidade...
De cada injusta pena

que um dia envenenou e ainda envenena
a minha alma que foi tranquila e forte...
De cada morte
que anda a viver comigo, a minha vida, d
e cada cicatriz,
eu fiz
nem tristeza, nem dor, nem nostalgia
mas heróica alegria.

Alegria sem causa, alegria animal
que nenhum mal pode vencer.
Doido prazer
de respirar!
Volúpia de encontrar
a terra honesta sob os pés descalços.

Prazer de abandonar os gestos falsos,
prazer de regressar,
de respirar
honestamente e sem caprichos,
como as ervas e os bichos.
Alegria voluptuosa de trincar
frutos e de cheirar rosas.

Alegria brutal e primitiva
de estar viva,
feliz ou infeliz
mas bem presa à raíz.

Volúpia de sentir na minha mão,
a côdea do meu pão.
Volúpia de sentir-me ágil e forte
e de saber enfim que só a morte
é triste e sem remédio.
Prazer de renegar e de destruir "o tédio",
Esse estranho cilício,
e de entregar-me à vida como a "um vício".

Alegria!
Alegria!
Volúpia de sentir-me em cada dia
mais cansada, mais triste, mais dorida
mas cada vez mais agarrada à Vida!
Autor: Fernanda de Castro, in "D'Aquém e D'Além Alma"

Bem pessoal, fiquem bem e pensem sempre na alegria de um belo pensamento ou acto, isto pode de certeza influenciar o vosso dia a dia. Até sexta-feira

sábado, 13 de dezembro de 2008

NÃO FUI PARA LADO NENHUM…

Fui ás normais compras para casa, com a excepção de que comprei carne de coelho para fazer uma receita.
Está mau tempo, o Inverno típico destes lados chegou, faz lembrar os tempos de minha infância, quando eu via a minha avô a confeccionar as broas e filhoses típicas, desta época, bonitos tempos.
Pena tenho de não ser bom em doçaria, alem de que, pelo que me recordo a confecção era deveras demorada, pois é preciso pôr a massa a levedar durante umas horas e isso não é muito dado comigo.
Por isso dou-me melhor com a culinária e não pastelaria.
Bem tinha prometido que contaria outra situação caricata e ai vai ela;
Também com um cliente a contar o sucedido com um empregado deste, o que se passou já á algum tempo foi mais ou menos isto;
O Sr. Cardoso é proprietário de 4 carros destinados a serviços de táxis, ele contou que o empregado dele foi efectuar um serviço transportando um casal e um miudo a Leiria, este levaria cerca de uma hora ir e vir, mas não foi o aconteceu.
Ele tinha sido mandado parar quase á chegada de Leiria pelos passageiros, para que estes fossem a um restaurante buscar algo para dar de beber á criança, ele encostou a viatura e ficou á espera com a senhora no carro.
Passados quinze minutos á espera a senhora decide ir ver o que se passava, ficando o empregado só no carro, este esperou uns dez minutos e ninguém parecia dar sinais de sair do estabelecimento.
Cansado e ansioso por saber o que se passaria, fechou o carro e foi também lá para dentro, olhou para toda a sala e não viu os seus clientes, foi perguntar ao homem que estava a atender ao balcão se sabia dos seus desaparecidos clientes, este disse que tinha servido um café ao senhor e dado um bolo ao miúdo, depois apareceu a senhora que pagou a despesa e foram embora pela outra porta.
O restaurante tinha duas saídas e o taxista viu logo que tinha acabado de ser enganado, perguntou ao homem do balcão se os conhecia, mas este disse logo que não, não os conhecia.
Procurou logo de ver se os via, andando um pouco a pé e depois com o táxi, mesmo pelas estradas em redor e nada de clientes, conclusão regressou sempre a praguejar pelo prejuízo de uma viagem de quase 170 quilometros, uma lição de nunca mais deixar ninguém, sair sem pagar o frete.
E um frete apanhou ele por esta corrida.
Agora que passou já consegue rir disso com os outros diz o Sr. Cardoso, ah, ah, ah.
Agora vamos falar do que vou fazer á carne de coelho, logo vou ter mais um belo jantar.
RECEITA: Coelho á Transmontana.
Depois de limpo, corta-se aos pedacinhos, picam-se três cebolas e bastante salsa e deitam-se numa caçarola, em camadas alternadas, a cebola, a salsa e o coelho; tempera-se com sal, pimenta, um dente de alho picadinho, duas colheres das de sopa de manteiga uma de azeite e uma de manteiga,
Coloca-se a caçarola em lume brando e tapasse bem, mexendo de vez em quando, verifica-se se a carne está bem assada picando-a.
Destapa-se só para servir.
Eu assei batatas pequeninas, mas pode acompanhar outra coisa qualquer.
Bem, foi o meu jantar e almoço amanha se calhar, pois eu não vou comer tudo, depois se vê.

Por fim um café com:
NÃO IMPORTA…
Não importa o que
eu sinto.
O que eu sinto
é como se tudo
fosse a última vez;
A paisagem, a cidade,
um beijo, o amor...
tudo.
Tudo tem jeito de
adeus.
Não importa o que eu
sinto.
(Autor: Anónimo)
Desejos de um bom Domingo, se poderem riam nesta e desta vida, com e para todos, vivam a vida felizes.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

MUITO BOA SEMANA…Mas Ponto de Interrogação

Para o fim foi uma semana maravilhosa, com muito trabalho, sem grandes problemas.
Estando de saúde e pondo os pés no chão, erguendo-me e sentindo que estou vivo, já é meio caminho andado para a felicidade, pode estar frio ou a chover a potes que eu não me incomodo, mesmo com a constipação quase curada ou curada, eu meto mãos á obra para me sentir útil a mim mesmo e á sociedade.
Como eu tenho mais duas de cientes amigos, vou comentar uma situação hoje.
Vamos lá ao sucedido, estamos na altura de se efectuarem as jantaradas das empresas, algumas convidam todos os funcionários e amigos para um convívio Natalício, ora eu recebi já quatro convites, que felizmente só dois coincidem no mesmo dia e quase á mesma hora, por suposto eu tenho de decidir a qual eu devo ir, situação difícil pois os locais são distantes e não são conciliáveis a eu ir ás duas, optei por recusar o cliente mais novo e espero que ele tenha entendido a minha situação.
Mas ainda faltam mais umas seis, que ainda não enviaram os convites, mas já foram comentadas faltando mesmo só as datas e horas.
Nestas alturas ando sempre movimentado e requisitado, até demais.

Por falar em comer, vamos á receita deste jantar de sexta-feira
RECEITA: Costeletas á Milanesa
Batem-se duas costeletas até ficarem delgadas, untam-se com um pouco de manteiga e polvilham-se com queijo mole ralado, deita-se um pouquinho de sal fino e pimenta.
Banha-se em ovo batido, envolve-se em pão ralado e fritam-se em manteiga, a lume brando.
Serve-se com um pouco de arroz e batata frita, quem quiser como eu uma saladinha de alface.
E agora algo para lerem depois desta refeição.

Ó vida porque passas tão de repente?
Tem calma e vai devagar,
Deixa amadurecer e viver tua gente
Porque lá no céu já há pouco lugar!
Queremos ver, sentir e provar
Todas as maravilhas da nossa Terra
Por isso, deixa-nos, ouvir e escutar
P'ra ver se a gente não erra!
É certo que não somos fieis
A este bem precioso "a vida",
Exageramos e abusamos de todas as leis,
E depois lá se vai, toda perdida!...
O ser "Homem" mexe e modifica
Tudo aquilo que lhe convém
E depois se glorifica
De todo o bem material que já tem!
(Autor: Peralta)


Depois disto só um bocado daquele sofá com uma vista na Tv.
Fiquem bem pessoal e desfrutem deste belo fim-de-semana tal com eu, isto é, se ninguém me chamar.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Hoje vim porque me esqueci de dizer que só voltaria na sexta-feira, estou com muito trabalho, por esse motivo não consigo ir dar a volta normal aos vossos simpáticos espaços.
Deixo este texto para lerem.
AMIGO...
Há certas horas, que não precisamos da paixão desmedida
Não queremos beijo na boca
E nem desejamos corpos a se encontrarna maciez da cama...


Há certas horas,
Que só queremos a mão no ombro,
O abraço apertado
Ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado
Sem nada dizer....

Há certas horas,
Quando estamos quase pra chorar,
Que desejamos a presença amiga,
A nos ouvir paciente,
A brincar com a gente,
A nos fazer sorrir...

Alguém que ria de nossas piadas mais sem graça
Que ache as nossas tristezas as maiores do mundo
Ou que nos teça elogios sem fim...
Mas que apesar de todas essas mentiras úteis,
Nos seja de uma sinceridade inquestionável...

Alguém que nos mande calar a boca
Ou nos evite um gesto impensado
Alguém que nos possa dizer:
Acho que estás errado, mas estou ao teu lado...


Ou alguém que apenas diga: Amo você!

(Desconheço Autoria)

Espero que esta semana seja maravilhosa para o pessoal que simpáticamente me visitam e até sexta-feira.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

JÁ ME SINTO MELHOR… MAS LÁ FUI…

Lá fui ajudar o meu irmão mais velho, o trabalho até foi rápido pois eu desenvolvi um sistema eficiente para ser mais rápido a sua conclusão, poupei muitas horas de esforço e ensinei duas empregadas no manuseamento do processo.
Acabei mais cedo o que tinha que fazer e vim descansar para amanha estar pronto para executar o meu trabalho.
Pelos vistos parece que anda por ai entre os espaços muita gentinha sem escrúpulos e com más interpretações do que é a boa educação.
Já não é a primeira amiga minha que se sentiu perturbada com observações que de alguma forma as fragilizaram, eu darei sempre força para se erguerem e não vai ser uma ou outra pessoa que irá de alguma forma conseguir com que as imensas amizades que têm, sejam privadas das suas belas formas de expressão nos seus espaços.
Como eu ainda não li nada, nem tive nada de desagradável não sei a forma como actuam, mas sei que irei dar desprezo a isso, a ignorância é para ser ignorada.
Cada um tem a sua liberdade de expressão, mas se alguém quer ser respeitado tem de respeitar os outros, nada lhe valerá tentar impor a sua opinião, se esta for feita de forma imprópria no seio de uma sociedade que se respeita mutuamente.
Se a capacidade em demência mental ou desequilíbrio social afecta esse tipo de pessoas, não vai ser dessa forma que iram levar a sua opinião avante, pois ficará cada vez mais isolada.
Bem pessoal, isolai esses comentários dos circuitos saudáveis, que o silêncio acabe por ser a sua destruição.
Fiquem bem e boa disposição, pois o Mundo mesmo com alguma pequena infecção tem muito espaço maravilhoso.

domingo, 7 de dezembro de 2008

NEM MELHOR NEM PIOR, MAS…Vamos ao conto.

Não vou falar mais da minha saúde, isto vai melhorar.
Como tinha prometido, vou contar uma história que se passou com outro cliente, o Sr. Ernesto, este é proprietário de um restaurante, tem a maior parte das vezes o estabelecimento cheio de clientes, numa noite da semana passada apareceram lá dois casais e á entrada algo aconteceu.
Segundo o Sr. Ernesto eles (os clientes) ficaram parados no hall da entrada uns quinze minutos a conversar, nada de estranhar, pessoas apresentáveis e de bons modos, mas depois de escolherem a mesa e se sentarem é que começaram a demonstrar algo de estranho nas suas reacções.
Enquanto o empregado estava a mostrar a ementa, os ditos clientes começaram a ter comportamentos impróprios para o espaço, comportamentos tais como beijarem-se e gabarem-se em alto e bom som os seus sentimentos perante tal acto, chegou ao estremo de um deles desapertar a blusa de uma das senhoras e gabar-lhe os seus atributos peitorais.
O empregado estava a ser chamado por o Sr. Ernesto quando, eles param com aquilo e efectuam o pedido das refeições.
O Sr. Ernesto ficou indeciso e questionava-se sobre qual seria a melhor solução para o caso, mandar embora aquela gente, na incerteza de qual seria a opinião do resto dos seus cliente, estes que se encontravam a jantar sossegadamente ou deixa-los ficar e aguardar que eles mudassem de postura e optou por deixa-los ficar. Mas por muito que temesse uma má reacção a um aviso da parte dele para com os casais indiscretos, viu-se na obrigação de lá ir e declarar o seu sentimento em relação ás atitudes presenciadas.
Para seu próprio espanto, estes até pediram desculpa pelo sucedido e explicaram que este pequeno episódio tinha sido feito por uma simples aposta entre casais.
“Enfim, ele á cá cada uma, pró que eu fui criado”. Disse o Sr. Ernesto

Pois é minhas amigas, não se sabe com o que se pode contar ou encontrar por este Mundo fora, fiquem bem e boa disposição com a nossa liberdade de expressão.

sábado, 6 de dezembro de 2008

QUAL RECUPERAÇÃO DA GRIPE …

Qual quê!

Tinha eu já tudo programado para uns dias de descanso, pois aproveitava a segunda-feira para recuperar, mas não tinha de ser este fim-de-semana, que o meu irmão mais velho precisaria de mim para ajuda-lo na sua empresa, pois esta encontra-se sobrecarregada com serviço.
Assim lá cheguei, por volta das dez da manha, com o corpo dorido, nariz entupido e cheio de calafrios pela espinha a cima, já se encontrava ele e os seus funcionários a trabalhar e lá estive eu por seis longas horas de trabalho, mas não acabou, na segunda feira tenho de lá voltar para ajudar, sendo assim só descanso o domingo.
Não sei como vou curar esta gripe, na terça tenho de estar em condições, pois eu próprio também tenho os meus afazeres e responsabilidades.
Bem espero que quando me deito o meu corpo reaja rápido com ajuda dos antigripais, já que raramente tomo medicamentos, por este motivo costuma fazer o efeito mais rápido.
Bem tenho pena do cansaço pois hoje estava para contar duas histórias, mas uma já foi a outra é curta e fica para amanha.
No entanto fica um curto poema.

DESPEDIDA

Levei-te doces
Para não sentires
O amargo da despedida!

Fui breve
Para não notares
Minha alma a vacilar!

Sai a correr
Para não ouvires
Meu coração a soluçar!

Amanha, terei mais tempo para estar nos espaços e compor o meu, com mais novas.
Fiquem bem e cuidado comas constipações dos vizinhos.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

AGARROU-ME E NÃO QUER LARGAR...

Há muito tempo, mas mesmo há muito tempo que não me constipava desta forma e logo numa altura em que preciso de andar.
Eu bem tento evitar os ares condicionados mas torna-se impossível por motivos de trabalho, onde eu entro existe sempre um e muitas vezes eles não são propriamente limpos, eu inalo o pó que aquilo deita, já não bastava a diferença de temperatura á entrada e depois outro choque á saída.
Dói-me a garganta, a cabeça está super pesada e querendo latejar para ajudar a piorar a situação.
Segundo análises recentes está tudo bem, alem de que não tenho falta de cálcio na estrutura óssea e nem de vitaminas, mas dói-me o corpo todo, quando sai um arrepio estremece o corpo é de dançar com a dor que causa, ah, ah, ah e o assoar do nariz que parece entupido mas no fundo é só dorido de tanto o tentar manter limpo..
Bem vou tentar curar isto em dois dias, pois tenho muito que fazer, agora vou deixar um poema, para que vocês poderem ler.

SÓ POR ISSO

Quem ousará dizer
que amou como eu amei
beijou como eu beijei,
esperou como eu esperei
e sentiu na alma, intensamente,
o calvário da dor e do ciúme?

Quem o poderá dizer,
fazer do sentir tal fantasia,
onde o amor é nada
e a alma do sofrer, está vazia?

Quem poderá dizer
que tudo passa e tudo esquece
e que uma chama ateada
nunca queima e nunca aquece?

Quem poderá acender igual fogueira
e nela se imolar, sem um queixume
gritando não sofrer, não doer e não ser lume?
…………………………………………..

Oh, amor assim sentido!
És impar, mas humano!
Grita! Não cales mais
o que sentes no teu peito!
…………………………

És como a água corrente,
que desliza sem destino,
indiferente ás torturas do caminho,
até sair do seu leito!
Grita e clama o teu sentir dorido!
…………………………………
Só por amor assim te chamas,
é que vale a pena ter nascido!...
(Autora: Alda Belo)

Bem pessoal, eu hoje fico mesmo por aqui, amanha contarei episódios da vida, assim sendo ficai bem dispostos e tentem não se constiparem.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

PEDIDO E DESCULPA...


Em primeiro lugar, para as minhas leitoras, desde já endereço um pedido de desculpas por ter escrito “até amanha” e não ter tido oportunidade de escrever algo no espaço, assim sendo, considerando que o erro, embora que tenha sido ocasionado por terceiros, isso não me iliba de culpabilidade do sucedido.
Para compensar a falha irei dizer, que na sexta-feira estarei de volta e sem falta relatarei novidades actualizadas.


Para Vós:
Com grande esperança, espero um perdão,
Da enorme compreensão das minhas amigas.
Que ao elevarem as mãos com sinceras razões,
Exista um único desejo, a de unir os nossos corações.
(Autor: LUIS 14)

domingo, 30 de novembro de 2008

UM BELO SOL MAS MUITO FRIO…

Tive um convite para ir passar o sábado e domingo a Viseu, mas não pude e assim fiquei por aqui na minha ilha, fui dando uma volta por matérias atrasadas no que respeita á casa e aproveitando o meu dito retiro neste fim-de-semana comprido, pois tinha decidido descansar sossegado e optei por isso mesmo.
Também tinha falado em outro caso caricato e vou contá-lo.
Mais uma vez aconteceu um cliente meu narrar-me o sucedido e o que se passou não lembrava nem ao Diabo, como ele frisou, foi mais ou menos isto:
Ele estava a tirar o carro em marcha a trás do estacionamento do seu prédio, quando de repente ouve um ruído em cima do tejadilho do carro, espantado e estranhando o ruído, parou imediatamente e saindo do carro, olhou para o tejadilho e vê uma mossa enorme causada por um saco de lixo, instantaneamente olha para as varandas para ver de onde terá sido atirado o maldito saco, não foi preciso muito para perceber quem fora, tinha sido a esposa dele que furiosa e continuando aos gritos por ele sempre se esquecer que também tem de trazer o lixo para baixo, “isto não lembrava nem ao Diabo e se ele existe é melhor eu não me meter com ele, pois para azar já tenho eu”, disse o meu cliente, ahahahh.

Amiga “Pelos caminhos da Vida”, hoje dei em preguiçoso, ahahah.
As receitas de hoje são práticas, nada de especial.
Almocei um bom bife grelhado com batata frita, ovo estrelado e salada de alface.
Jantar salada de atum, a batata é cozida com um ovo, cortei um pouco de tomate ás rodelas, mistura-se o atum e já está.

Mais um pouco para ler.
NÃO BATAS Á PORTA

Não queiras bater á porta,
Que a minha alma fechou!
A dona morreu por dentro
E nada mais lá ficou!

Não batas a essa porta,
Que estará sempre fechada!
Se lá não mora ninguém,
Ninguém responde à chamada!

Além do mais, que importa
Querer das cinzas fazer chama?...
Quem lá viveu, já não volta
E quem morre, não se chama!...

Bem pessoal, gozem bem o feriado com saúde e bom regalo, até amanha.

sábado, 29 de novembro de 2008

POIS ENTÃO UM BOM SÁBADO…


Em tempo de chuva, existe mais sossego para fazer as coisas com calma e sem interferência de telefonemas nem visitas, tirei mais este dia para fazer mais uma receita com paciência.
Mas antes vou contar um dos dois casos caricatos que me contaram durante esta semana, pois o outro fica para amanha.
Eu tive de visitar um cliente que tem um armazém de materiais de construção, este no fim-de-semana passado na noite de Sábado para Domingo teve uma tentativa de assalto nas instalações, estas não tinham o alarme ligado, os assaltantes que tinham por volta de 19 anos entraram por escalamento, tendo retirando uma das chapas da cobertura do telhado entraram e começaram a tentativa de assalto, mas o inesperado aconteceu para os ladrões dentro do armazém, encontravam-se lá os dois cães de guarda do meu cliente, estes estão treinados e são enormes, ao verem os dois ladrões lá dentro puseram-se a correr atrás deles, os ladrões ao vê-los esconderam-se numa das casa de banho com a porta fechada, pensaram em tudo para se libertarem, mas era impossível retaliar com os dois cães á espera na porta.
Ora o armazém fica numa zona isolada e poucas pessoas passam por lá ao fim de semana, assim os ladrões só foram encontrados pelos empregados na segunda-feira, cheios de medo e de fome.
Segundo os empregados tentaram pedir desculpas mas acabaram por serem apresentados aos polícias que foram chamados ao local.

E agora vamos á receita do meu almoço.
LINGUADO ASSADO
Amanha-se o linguado fresco, deve ser grande e alto. Corta-se uma cebola em rodelas fininhas e dispõem-se estas no fundo de uma travessa de ir ao forno. Golpeia-se o linguado do lado escuro, no sentido perpendicular ao comprimento e enchem-se os golpes com um pouco de manteiga.
Coloca-se então sobre a cebola, rega-se com uma colher de bom azeite e uma colher de manteiga. Deita-se por cima uma mistura de pão ralado, um pouco de sal fino, pimenta moída e queijo ralado, isto tudo a gosto.
Vai ao forno brando e quando assado, serve-se na travessa em que foi cozinhado.
Fica um pitéu.

Um pequeno verso:
TEU NOME É SAUDADE

A teu lado não estou só,
Se estou só, estás comigo!
Se a saudade tem teu nome,
Olvidar-te, não consigo!

Bem pessoal fiquem bem e bom “trato” com o merecido descanso.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

ATÉ QUE ENFIM; O CALENDÁRIO BATEU…

Depois desta semana, nem vou falar dela hoje, mas tenho duas boas histórias de clientes para contar amanha, pois o belo calendário premiou uma segunda-feira de descanso, isto é se nada em contrário acontecer.
Tirando as rotineiras tarefas de um solitário num apartamento ao fim de semana, que precisa sempre de atenção em todos os aspectos, irei por fim poder tirar algum tempo para mim.
Não sei ainda o que farei, mas que vai ser bom vai.
Aliviarei a cabeça de todos os problemas que se passam em meu redor e fecharei a minha mente para desgostos e laborarei as boas coisas da vida, tais como o relaxamento, a diversão de experiências novas para mim no que respeita a culinária, como deve estar de chuva, a casa será o local escolhido para ler e escrever algo com mais tempo.
Vou deixar um poema para lerem.

DEIXA A SAUDADE MORRER

Já não é mais Primavera,
Nem Verão, nem mesmo Outono!
É um Inverno pegado,
Neste total abandono!

Já não crescem mais flores
P´ra deleite do olhar
E as aves, lá no Céu,
Já deixaram de cantar!

No recanto mais discreto
Morreram as violetas!...
………………………..
………………………..

As rosas, os malmequeres,
Os junquilhos, o jasmim,
São mortas recordações
Vivendo dentro de mim!

Quanta tristeza no ar!
Quanta vã destruição!
Quanta lágrima retida
Bailando em meu coração…

P´ra quê amar e sofrer?...
Ao longo da caminhada
Pouco vi, ou quase nada,
Que me fizesse deter…

Caminhei sempre
Olhando em frente e cismando!
………………………...

Recordar? O quê?...
Na vida, Há sempre um porquê
Sem ter resposta capaz
Que nos dê paz e alento

Para quê chorar, penar…
Às vezes sofrendo tanto!
………………………...
Recordo, querendo esquecer!
Se a saudade é um bálsamo
Que nos ajuda a viver…
Meu Deus! Deixa a saudade morrer!...
(Autora: Alda Belo)

Assim amanha estarei de volta pessoal e por falar em volta, vou dar uma volta pelos vossos belos espaços, até amanha e vivam sempre felizes.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

ÍNICIO DE SEMANA COM CHUVA E FRIO e ....

Acidentes atrás de acidentes, estrada suja e as pessoas não conduzem devagar, dá em perdas de tempo incríveis e desgastantes, alem dos prejuízos, há também os feridos inocentes no meio disto tudo.
Hoje já tinha contabilizado oito acidentes, alem da destruição das viaturas, dois casos dos quais graves e pelo aspecto dos feridos, era algo muito desagradável para a sensibilidade de alguns, encontravam-se entre os feridos duas crianças de tenra idade, felizmente para eles só tinham simples feridas, a segurança das cadeiras fora eficiente, encontrando-se bem, mas assustados, já os adultos a situação era de gravidade.
A inconsciência de alguns cria grandes sofrimentos noutras pessoas, alem dos traumas ou ferimentos, ainda há que parar um tempo para recuperar fisicamente, mentalmente e ainda em alguns casos o problema financeiro.
Num dos ramos que trabalho assisto a grandes crises provocadas por este tipo de acções que levam as pessoas a olharem o perigo doutra forma, mas já é tarde e por muita informação que se divulgue continuam diariamente a acontecer, acidentes com danos materiais, físicos, psicológicos e pior ainda mortes.
Pessoal amigo desculpem se este desabafo, é de um certo modo sinistro, mas a intenção é que se tente mais divulgação da prevenção rodoviária.
Fiquem bem e quem conduz ou é conduzido, tente sempre ter lucidez dos riscos rodoviários.

POEMA
………………………
A Deus peço a ajuda,
E a ti, que esqueças os meus pecados!
……………………
Peço-te ainda,
Que se “algo” existe em ti,
Que para mim te faça olhar
Com os olhos de razão,
Que a Deus murmures uma prece,
Pedindo-Lhe, para ti, o Seu perdão!...
……………………..

Voltarei na sexta-feira, abraços de amizade.

domingo, 23 de novembro de 2008

UM DOMINGO RADIOSO

Esteve um belíssimo Domingo, sem muito frio e excelente para ir dar um passeio pela natureza, aliviando o interior de pensamentos infelizes que me estavam a massacrar a mente.
Foi uma tarde relaxante que em grande parte me fez esquecer o que me perturba, este problema, que embora não seja particularmente comigo, mas sim de alguém próximo que precisa de ajuda.
Mas isso vai se resolver.
Peço desculpa de não escrever mais nada pois fui obrigado a ir ver o encontro de futebol entre a Académica e o Benfica que teve inicio ás 20 e 15, o Benfica ganhou, eu nem aprecio muito ir ao estádio, mas hoje cedi, depois ficamos lá nos camarotes na conversa até o estadio ficar quase vazio.
Como já é tarde e amanha vou ter de estar fresco, vou descansar com a promessa de que amanha escrevo algo embora seja segunda-feira.
Assim faço votos de que tenham passado um bom fim-de-semana.

sábado, 22 de novembro de 2008

SÁBADO DIA DA CASA E REFEIÇÕES RELAXADAS

Alem do habitual, compras de tudo um pouco para a dispensa e limpezas há direito a um bom almoço e um bom descaso, está um belo dia, mas pela manha já chegou para andar e apanhei bastante Sol e este está muito baixo e quente.
Portanto fui tratando tudo com a mesma rotina e preparei um almoço que desse também para transformar em jantar.
Meti mãos ao trabalho e começa a confecção.
RECEITAS
SOPA Á PORTUGUESA

Para que fique carne para o jantar, eu comprei.
500grs; de carne de vaca e pus a cozer em água temperada de sal, com seis batatas (aqui as batatas grandes para o Pastelão, que irei dar a receita em baixo).
Quando a carne estiver quase cozida, tira-se para fora, assim como as batatas, que se põem num prato.
Deita-se um ramo de salsa, umas folhas de couve portuguesa, cortada á mão, duas cenouras e três nabos pequenos e quando estiver tudo cozido, juntam-se pedaços de pão e uma folha de hortelã.
Prova-se de sal e come-se após o pão tiver fervido uns 15 minutos.

O PASTELÃO DE CARNE

A carne que serviu para fazer a sopa e que se guardou, passa-se pela maquina de picar e refoga-se, depois, num cuidadoso refogado normal, onde só acrescentei raspas de nós moscada e pimenta moída.
À parte esmagam-se as batatas que se cozeram na sopa e depois de se temperarem com um pouco de manteiga, forra-se a assadeira, com uma fina camada de batata, formando uma caixa e deita-se todo o picado da carne, já refogada.
Cobre-se, por cima, com o resto da batata, unta-se toda a caixa com gema de ovo e leva-se a cozer no forno brando até estar estaladiço.

E foram as minhas refeições maiores de hoje, no meio disto foi ver se descansava um pouco e aproveitei para ler.

SÒ POR TI

Dei-te o sossego das minhas horas calmas,
A ansiedade do meu despertar,
Os sonhos do meu amanhã,
A Primavera do meu Outono
E a vida, que roubei à vida por amor!

Amor, que tu não viste,
Querer, que nunca sentiste,
Ansiedade, que não compreendeste,
Sonhos que não valorizaste…

(Autora: Alda Belo)

Espero que não tenha sido cansativo estar a ler isto tudo, mas como só escrevo ao fim de semana por agora, assim me despeço com desejo de boas noites para todas as minhas amigas. Até amanha.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

AI VEM O MAIS ESPERADO FIM-DE-SEMANA

Esta semana gastou imenso das minhas capacidades psíquicas mentais.
Alem do trabalho que já tinha, tive a feliz ideia de seguir um conselho de um amigo e ir fazer um curso das novas soluções informáticas, para ter uma experiência diferente das enormes potencialidades deste meio, que dia após dia tem novidades para se utilizarem.
È claro que eu achei interessante, nunca perco nada em aprender algo de novo, mas o preço a pagar talvez não tenha sido bem estudado, pois este está a ser deveras cansativo, estando a consumir muitas das minhas energias mentais e corporais.
Mas como eu não sou uma pessoa fácil de desistir seja do que for, naturalmente que tem de ser algo que me cative, eu irei em frente com este projecto.
E sendo assim em vez de ir para algum lado depois dos meus normais afazeres, que por vezes dão-me muito tempo vago, passo a preenche-los em aprendizagem.
E agora um pouco de poesia.

O DIA QUE VIRÁ

Não sou do tempo, nem do vento,
Nem sequer da tempestade!
Sou uma sombra, um lamento,
Sem ter forma nem idade!

Não me perguntem quem sou
Nem sequer de onde venho!
Não tenho forma, nem nome,
Nem idade, nem tamanho!

Sou um sonho mal sonhado
Ou talvez um pesadelo!
O que me cerca… não sei
Não sei… nem quero sabê-lo!

Não tenho forma nem nome
Não quero dizer quem sou!
De ver tanta hipocrisia
Fica-me a alma vazia,
Já nem sei p´ra onde vou…

Ergo a minha voz ao Céu
Num clamor de revolta
Pedindo renovação… e por que não?
O perdão, para todo o pecador!...

Também, Senhor, perdão peço
Pela minha rejeição,
Não querendo dizer quem sou
Face a tanta ingratidão!
(Autora: Alda Belo)

Bem pessoal amigo, desejo um bom fim de semana para todos, que o Mundo seja sempre um paraiso de felicidade para os seres vivos nele existentes.

domingo, 16 de novembro de 2008

DOMINGO SOALHEIRO…

Bela manha para dar um passeio pela beira-rio até ás docas, aprecia-se os patos a nadarem com as gaivotas que decidiram já algum tempo abandonarem a foz, anda-se a pé quatro quilómetros e parasse num quiosque para comprar o CM, procura-se uma esplanada para tomar um café, dando um pouco de sossego as pernas esticadas sobre o muro da margem do rio.
Encontrei um pessoal amigo, conversa para aqui conversa para acolá e horas de regressar a casa para almoçar e ver um pouco de TV, segundo uma informação dariam filmes que não seriam repetidos como é hábito nos canais.
Era verdade e fiquei a ver televisão e escrevendo algumas anedotas que me contaram como estas.

Num comboio, ia um homem que de vez em quando desatava á gargalhada e depois abanava a os ombros, depois de várias vezes, um passageiro perguntou.
-Afinal, porque é que você de vez em quando se põe a rir?
-É que me vou lembrando de anedotas cada vez, melhores!
-Aaaah, mas porque é que depois de cada gargalhada o senhor encolhe os ombros?
-É que chego á conclusão que já as conhecia.

Uma senhora comprou um Mercedes ultimo modelo e orgulhosamente saiu do concessionário conduzindo-o. No meio do caminho, ela tentou mudar de estações de rádio e não conseguia de jeito nenhum. Deu meia volta e retornou ao stand de automóveis. Chegando, foi reclamar com o vendedor que a tinha atendido, o qual imediatamente se desculpou.
- Calma minha senhora! É que me esqueci de lhe contar que este é um rádio japonês automatizado. Por exemplo a senhora diz – “Musica Sacra” e o rádio começou “Erguei as mãos…”, o vendedor prosseguiu, outro exemplo – “Axe Music” e o rádio mudou outra vez e passou a dar “Segura o Tchan..Tchan..”.
A senhora ficou maravilhada com a tecnologia, pediu desculpa e saiu satisfeita. No meio do caminho, diz “Rock and Roll” e entra uma musica dos Rolling Stones. De repente, um carro vem que nem um louco fora de mão e quase bate no Mercedes novinho que num reflexo ligeiro tira o carrão do caminho salvando-se do embate quase certo. Passado o perigo ela vira-se para trás e grita – FILHO DA PUUUUUUUUTA! No mesmo instante a música do rádio é interrompida pela seguinte mensagem.
- Interrompemos a nossa programação para ouvir um discurso do Excelentíssimo Senhor Primeiro-ministro José Sócrates.

Peço desculpa a admiradores do primeiro-ministro, eu propriamente nem sou nada político, pois das minhas politicas trato eu.
Fiquem bem pessoal e uma boa semana de gargalhadas.

sábado, 15 de novembro de 2008

O CAOS DO APARTAMENTO…E AS REFEIÇÔES

Ora bem, toda a semana com trabalho excessivo e como a empregada não veio (mais porque eu não arranjei nenhuma, ah, ah, ah.) tenho de fazer tudo em casa, sendo assim toca a ir ás compras para a semana, regressar a casa e tentar pôr a casa num brinco.
Começa no hall, marquise, casa de banho, quarto e por fim cozinha, feito tudo isto, foi fazer o almoço, este que por motivo de tempo foi prático, umas batatas cozidas com o respectivo ovo também cozido, depois de tudo frio descascaram-se os camarões grandes que se compram já cozinhados no Pingo Doce, um pouco de maionese e tive o almoço perfeito para o dia soalheiro e quentinho que está hoje nesta zona.
A tarde foi passada a introduzir no computador alguns documentos e fazer algumas simulações digitais, ver um pouco de TV e chegou a hora de voltar á culinária para o jantar, esta refeição foi feita com mais calma e eis o que fiz.
RECEITA
Um bom bife de lombo, este esfrega-se com um pouco de Alho, sal e pimenta, a gosto.
Em separado, faz-se um refogado de manteiga e banha de porco. Passa-se o refogado por um escoador fino e deita-se-lhe os cogumelos partidos aos bocados, cenoura cortada ás rodelas e cebolinhos pequeninos.
A quantidade de ingredientes é ao paladar e fome da ou das pessoas.
Alouram-se os bifes em manteiga numa frigideira.
Depois junta-se o molho e os bifes, deixa-se estufar com os cogumelos em caçarola destapada
.
Depois do jantaram limpar e arrumar tudo para fazer um pouco de digestão e depois um bom café no sofá esticadinho a ver um filme.
E passou o Sábado de um “jovem” solitário, amanha é outro belo dia, fiquem bem pessoal amigo.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

A SEMANA FOI MARAVILHOSAMENTE…

Trabalhadora e com altos agradáveis e baixos desagradáveis.
Desgastante; se queria trabalho, pois foi o que tive e em grande quantidade, uns aborrecidos, outros deveras entusiasmantes e naturalmente hilariantes.
Aborrecidas porque as minhas reuniões deveriam ser feitas nas conformidades acordadas por todos, havendo alguns que não as cumprem obrigando os transtornos, estes que chegam a causar situações inconvenientes em relação a terceiros.
Hilariantes quando estas mesmas reuniões, são realizadas com grande á vontade e dentro de parâmetros socialmente agradáveis ao desenvolvimento da mesma, nestas existem um entendimento perfeito dando azo a liberdades relaxantes como observações cómicas sobre os temas ou até exteriores aos temas.
È a vida.

Passando para algo mais agradável.
…………………………
És um ser que me perturba,
Que exalta o meu sentir,
Mas que quando a alma chora,
Os meus olhos faz sorrir!

És alguém que eu sonhei,
Sem poderes ser o que quero,
P´ra quem olho com ternura
E por te querer desespero!

És a vida que dá vida
Quando o desalento espreita
E a visão da ternura
Que encanta e nos deleita!

És só tu, tal como és!
Eu sou eu, tal como sou!
És sonho na minha vida,
Eu, a vida que o sonhou!

A vida será sempre bela, se nós conseguirmos aliar aos nossos sentimentos, a beleza de interior que existe nela.

Fiquem bem pessoal e amanha irei visitar todos os espaços por quem tenho admiração e o prazer de poder estar.



segunda-feira, 10 de novembro de 2008

EXCESSO DE TRABALHO.......


Andava a queixar-me, mas agora é um aperto de trabalho, todos deixam tudo para os ultimos momentos do ano, assim sendo, peço desculpas ao pessoal amigo por só poder escrever no meu espaço aos Sábados e Domingos, dias estes em que visitarei os espaços habituais, nos quais terei como sempre o grande prazer de visistar e ler tudo o que esteja atrazado.

sábado, 8 de novembro de 2008

SOIS TUDO













SOIS TUDO
Folhas mortas, caidas, pisadas,
Almas como eu abandonadas,
À mercê de quem passa sem olhar!
Folhas caidas,
Como eu adormecidas,
Sempre no mesmo lugar!
.
Folhas! Almas sem nome
Que o vento fustigou,
Que o calor coloriu
E o tempo fez tombar!
.
Folhas Não choreis!
Haveis de ser como dantes,
Vestes novas de gigantes,
Que ao morrer ficam em pé!
.
Folhas verdes, cor da esperãnça,
Vermelhas, tal como o sangue,
Amarelas, desesperadas,
Mas de novo renovadas!
.
Sois veste, abrigo e sombra,
Sois casa, esteio e mistério.
Sois grata recordação
Dum sonho lindo vivido,
Em tardes quentes de Verão!
(Autora: Alda Belo)

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

ESTE PERIÚDO FINANCEIRO DESGASTA …..

Esta foto é uma seção de uma bolsa de capitais, todos gritam pelo mesmo.
Este período financeiro desgasta até a pessoa mais alegre que anda por estas redondezas, (como eu) não há passo que dê sem ouvir uma lamentação sobre o estado de espírito das pessoas, é incrível o pessimismo existente em "todos" e relacionádo a "tudo".
Tem de haver algo que mude este espírito e rápido, se já haviam depressões a nivel fisico-psicológico, agora vai haver um recorde mundial.

O DITO POR NÃO DITO

Penso…
Medito…
E quase que acredito
Que estou a trabalhar!...
………………………...
Penso…
Repito…
Mas chego a achar esquisito
O meu modo de pensar!...
………………………….
Penso…
Reflicto…
Mas, cansada de pensar,
Dou o dito por não dito,
Pois, finalmente, acredito
Que apenas ´stou a sonhar!...
(autora Alda Belo)

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

UM BOM DIA …. CALMO COMO O TEMPO

Fez-se bem o dia, produtivo e muito calmo, até deu para dar um passeio á beira-rio ás docas, descansar o cérebro com a leitura dos novos elementos de trabalho. (naturalmente não foi ver piadas, ah, ah, ah, foi mesmo estudar trabalho)
Coisas que se lêem e ouvem

A certa altura da aula, a professora de Português, ouve um “zum-zum” no fundo da sala e pergunta.
-Joãozinho, diz-me dois pronomes!
- Quem? Eu? – Diz ele levantando-se.
-Muito bem! Podes sentar-te.

Um senhor invisual vai ao cinema com o seu cão.
No fim do filme o cão levanta-se e começa a bater palmas.
Fica toda a gente admirada.
- Estou tão admirado quanto vocês! - Diz o dono – Ele leu o livro em Braille e não gostou.

Uma mãe estava a dar uma lição de boa educação á filha.
- Se tu pisasses alguém o que lhe dizias?
-Desculpe, (Responde a filha)
-Muito bem. (Disse a mãe)
- E se essa pessoa te desse um rebuçado, por teres sido tão bem educada, o que fazias?
- Pisava-lhe o outro pé…

Um homem desabafa com os amigos.
- Tive uma discussão tão grande, tão grande com a minha mulher que ela acabou a suplicar-me de joelhos.
- Ena pá! E o que é que ela pedia? (perguntou um amigo)
-Que eu sai-se debaixo da cama.

Até amanha pessoal e desportivismo saudável.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

HOJE QUERIA O SILENCIO ESCURO…

Estou cansado, com a mente cheia de coisas que nem ao Diabo interessam para se rir. Com tanta coisa que passei hoje, foi daqueles de ter de engolir certas pessoas durante um tempo infinito, andaram com um dialogo em círculos, para chegar a uma meta que em linha recta demorava 5% do tempo que em duas entrevistas passaram de uma hora e meia cada um, falaram do que sabiam e o que não sabiam, afirmando sempre a sua convicção (pau é pedra) no assunto.
È que hoje não estava com paciência para ouvir, é muito raro em mim, mas lá calha de vez em quando, mas independentemente do meu estado psicológico tenho a obrigação de ser atencioso, cordial.
Por isso pessoal, até amanha e fiquem felizes.
Deixo estes versos para compensar uma boa história.
QUANDO A TARDE VEM

Quando a tarde vem tombando
E o Sol da agonia se avermelha,
Minh`alma parece o mar,
Onde sua luz se espelha!

Torturada pela dor
Que essa agonia consente,
Fica chorando e pensando
Num silêncio incessante!

Como a vida é traiçoeira,
Ardilosa e tão cheia de penares
……………………………….
………………………………

Quanta dor fica escondida,
Quanta lágrima retida,
Na alma fica a bailar…
…………………………….

Ai, se os meus olhos falassem
Das penas do meu penar!
Se os sentidos não calassem,
Decerto iam chorar!...

Mas a revolta é só minha
E no meu peito tem guarida!
É em canto de saudade,
Quando chega a despedida!

Fica no peito a doer,
Fica na alma a cismar,
Jamais se pode esquecer,
Mas sempre se há-de calar!


(Autora: Alda Belo)

terça-feira, 4 de novembro de 2008

DE UM OCEANO PARA UMA ILHA…

Ontem muito trabalho hoje, sossego a fazer simulações orçamentais no computador, a paz está instalada por enquanto, mas eu gosto mais de efectuar as minhas visitas, desde que não sejam trabalhadas com imensas pressões de tempo.
Lembram-se daquele Sr. do stand de automóveis, O Sr. Fausto e “o acidente do genro e a sogra”, pois ai vem outra das dele.
Numa destas manhas de frio de rachar a lenha mais verde e de estalar os dentes mesmos os sãos.
Uma senhora chega ao stand e diz que o seu carro novo está com muito ruído, está qualquer coisa a estragar-se, ele anda bem, eu paro e o ruído já nem é muito, depois deixa de se ouvir.
-Já andei vinte e cinco quilómetros e venho com medo de desmanchar-se qualquer coisa.
O Sr. Fausto pede para ela sair e vai pôr o carro outra vez a trabalhar, foi nessa altura que ele ouve perfeitamente o ruído, começa a rir-se em altas gargalhadas.
A Sra. olha para ele de um modo incomodada com a situação, pois não entendia o motivo de tanta graça, ai faz a pergunta.
- Qual é a graça, não diga que já se estragou algo?
Ai, o Sr. Fausto de dentro do carro abre o capou e vai saindo, sempre sorrindo, diz para a Sra.
- Acalme-se minha senhora, quer ver o seu problema, um gatinho todo encolhido e enroscado entre o filtro do ar e o motor.
Ela ficou admirada e aliviada com tal situação e feliz pelo gatinho não se ter aleijado, o mais difícil foi tira-lo sem o Sr. Fausto ser arranhado, mas por fim saiu.
Todos se riram, ai a Sra. disse se lhe podiam arranjar uma caixinha, pois queria ficar com aquele que viria a se chamar “Milagre”.
Fim da história e fiquem bem, por esse e este lado do Mundo, felizes.

PENSAMENTO
Não há criaturas mais amargas,
que aquelas que são,
doces por interesse.
(Autora desconhecida)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

BEM FEITO……

Eu andava a queixar-me de que tinha pouco que fazer, pois hoje as horas da manha não deram para tanto trabalho que tinha para fazer, assim sendo toca a remarcar toda a agenda e procurar tirar uns minutos de um lado para o outro.
Assim foi acelerado o trabalho que por fim até correu ás mil maravilhas.
Mas é engraçado a forma de reagir das pessoas, parece que elas pensam que eu não ando neste Mundo, ando sempre a sorrir e parece que nada me afecta, independentemente de estar em trabalho ou simplesmente a socializar.
Eu tento incentiva-las com argumentos positivos algumas ficam bem dispostas, algo que me faz ficar ainda mais satisfeito.
Fiquem bem pessoal, uma boa disposição altera o nosso modo de estar e ver o Mundo.
È que hoje como estou morto de cansaço e amanha tenho de estar vivo.
MORTO
O Mundo triste reclama o mal.
O Mundo doente torna-se mortal.
O Mundo fica sem vida natural.
O Mundo torna-se desértico e fatal.
O Mundo passa a morto e letal.
O Mundo desaparece do espaço celestial.
VIVO
O Mundo aclama o natural.
O Mundo torna-se respirável.
O Mundo torna-se verde e azul coral.
O Mundo é alegre e saudável.
O Mundo torna-se habitável.
O Mundo cheio de flora e vida animal.
O Mundo ocupa seu espaço celestial.
(autor: L. 14)


domingo, 2 de novembro de 2008

BONITO DOMINGO DE OUTONO

Passear no parque e ver as arvores nuas de folhas como se deitassem fora um passado para rejuvenescer num novo futuro, o jardim totalmente coberto de folhas de cores mortas no entanto de grande beleza, deixando uma suave impressão de que algo de muito importante tinha sido feito em prol deste Mundo.
É um passeio diferente e relaxante onde as ideias podem aparecer ou simplesmente criar um isolamento de reflexão interior, deixamo-nos ir consoante a paisagem pacífica, com uma leve brisa fria, que nos leva ao recolher interior de nós próprios, na tentativa de nos aquecermos com recordações quentes e felizes da nossa vida terrena.
Passei um bom bocado da minha linda vida sentado naquele banco, muitas vezes acompanhado de pessoal amigo outras vezes sósinho mas sempre feliz com a vida que tenho tido e tenho.
Dos momentos maus pouco me lembro, pois alem de raros passaram a ser insignificantes e arrumados em espaço distante, espaço esse que recorro muito raramente quando tento evitar que estes voltem a acontecer.
Sinto-me bem com o meu destino actual, mas sempre pensando em melhor futuro, este na companhia de quem me quer bem.
Fiquem bem pessoal e desfrutem da renovação da Natureza, apreciando-a e amando-a.


sábado, 1 de novembro de 2008

HOJE as compras semanais--- a receita---- e ……


Hoje feriado não há mercado, mas houve o Pingo Doce para ir ás mercearias necessário para casa. E foi o que fiz, depois de ter comprado o jornal CM e tomado o respectivo café.
Regressei rápido a casa para cozinhar a galinha.


O QUE É PRECISO:
- A galinha caseira.
- Uma cebola
- Quatro dentes de alho
- 120gr de toucinho gordo (meio-sal)
- 1 Colher de café de pimenta preta moída
- 1 Colher de sopa de banha
- Sal (q.b.)

PREPARAÇÃO
Limpa-se muito bem a galinha e lava-se.
Cose-se a galinha em água e sal com a cebola, quando a galinha estiver quase cozida, deixa-se a arrefecer.
Guarda-se a água para fazer canja com um pouco da galinha desfiada.
Descasca-se os dentes de alho, corta-se o toucinho gordo (sem pele) em pedacinhos e pisa-se tudo muito bem num almofariz até ficar em massa.
Junta-se depois a banha e a pimenta até obter uma pasta uniforme.
Depois da galinha ter arrefecido, barra-se muito bem com a massa por dentro e por fora e coloca-se na caçarola de barro e leva-se ao forno bem quente a alourar.
De vez em quando rega-se a galinha com o próprio molho e retira-se quando estiver loura a gosto de cada um.
Eu como com batatas fritas, rodelas de laranja e alface.

Ficou um estalo, mesmo bom, o dente em tratamento teve de arredar-se, ah, ah, ah, e a canja também.

SONHO
Não adianta sonhar com castelos no ar
porque na realidade é que está a felicidade.
Pensar que é melhor às vezes fantasiar
traz grandes problemas enigmas e esquemas
difíceis de resolver.
E por fim o sonho acabado
chegamos à conclusão que foi tudo ilusão
que pensando como gente a realidade é diferente.
Não adianta imaginar castelos no ar
é melhor acordar do que viver a sonhar.
(Autor Desconhecido)

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O TRABALHO HOJE DEU DESCANSO, em compensação....

Como hoje tive pouco que fazer e normalmente quando isso acontece trato de assuntos particulares, como tinha de ir tratar de um problema da minha dentição, coisa que para mim nem castigo é, mas sim uma enorme batalha psicológica que me leva por vezes quase a desfalecimento incontrolável, ah, ah, ah, algo que sei que não sou o único a sofrer desse mal, ah, ah, ah.
Consegui controlar-me, mas tenho de lá voltar daqui a três semanas, devem gostar muito de mim para me quererem lá tanta vez, ah, ah, ah, bem vou deixar-vos algo para lerem.
PS: O pedido de divulgar como preparo a confecção da galinha caseira fica para amanhã.
Bem pessoal amigo, “ficai entre os vossos e adorai-vos a todos”.

Estrada de vida

Onde te encontras na estrada da vida,
será na viela ou beco sem saída.
Há estradas bem largas que não levam a nada.
Há outras apertadas e bem estragadas
Vê bem onde pisas não fiques magoada,
ilumina teu caminho olha as encruzilhadas,
elas são perigosas e bem disfarçadas.
Caminha pelo passeio não vás pela estrada,
caminha pelo meio não fiques parada,
parar é morrer e não leva a nada.
(Autor desconhecido)

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

ORA ENTÃO CHUVA … MAIS UM REENCONTRO ….

Manhã fresquinha e molhada que foi passada normalmente embrenhado em papeis.
Tive de ir á tarde visitar outro grande amigo de longa data, este tem uma fábrica de blocos de cimento numa aldeia não muito longe, uma coisa familiar mas já de grandes dimensões.
Tudo corre bem em termos de trabalho, o Sr. Fernando ia trabalhando e falando comigo, ai que aparece a esposa dele, é um máximo, daquelas pessoas que trabalha em tudo, alem da fábrica trata do gado doméstico, do amanho das terras, etc.
È quase uma obrigação eu trazer uma galinha caseira e ovos, couves, batatas e até alhos, (eu bem digo não é preciso, mas fica aborrecida se não trouxer), assim ela logo começa por arranjar uma galinha para eu trazer, (o trabalho que dá, aquecer água para depenar, etc.), ela ia fazendo tudo com carinho e satisfação, eu sempre na brincadeira e não sabendo o que dizer, pergunto pelo gado e ela responde.
“Ó está bonito, tudo cheio”, quando ela diz “cheio” quer dizer “gordos” e não com crias, ah, ah, ah., e começa a contagem, tenho ainda as galinhas, coelhos, patos, o boi, as duas vacas, os três porcos, vinte e seis cabras e o bode (conto isto porque ela repete várias vezes com enorme prazer da sua criação).
È uma pessoa que quer saber de tudo, muito mas mesmo muito curiosa, ah, ah, ah, lá estou eu simpático a responder a tudo, ela é tão simples e pura que dá gosto em responder-lhe a tudo, muito boa gente.
Pedi licença para ir falar com o Sr. Fernando para assinar os documentos, este continuava o seu trabalho, mas tratou logo de assinar e passado um pouco a esposa chega com os sacos, eu fiquei alarmado com tanta coisa, mas já não dava para dizer que era muito, pois ficaria ofendida comigo, eu conheço-a bem, metemos as coisas no carro, ficamos contentes de nos revermos e despedi-me de tão agradáveis e humildes pessoas, que estão sempre prontas a serem para sempre grandes amigos.
Eu costumo retribuir o “bem” das pessoas dando umas prendas também, e assim deveria ser “ A Amizade não tem valor tem sim muito Amor”
E chega por hoje senão acabo fazendo um livro, ah, ah, ah. Até pessoal fiquem bem e sejam alegres e felizes..
PENSAMENTOS
- "O tempo acalma, o tempo ilumina, nenhum estado de espírito pode manter-se inalterado ao longo das horas."

- "Cada pessoa que passa na nossa vida não se vai só, nem nos deixa só. Deixa um pouco de si, levando um pouco de nós."

- "Os sonhos tornarem-se realidade, sem essa possibilidade, a natureza não nos incentivaria a tê-los"

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

HOJE FOI UM BELO…….

Hoje foi um belo dia, a minha agenda foi alterada para ter uma visita distante daqui e logo com gente bastante conhecida e agradável de se falar.
Quando lá vou venho sempre com coisas que não lembram ao Diabo, ah, ah, ah, passo lá bons momentos, alem do trabalho ser bastante facilitado, existe sempre diálogo sobre tudo, principalmente coisas como estas.
- Um senhor tinha acabado de comprar um boi, esta compra tinha sido feita numa aldeia a seis quilómetros de distância da sua, a intenção era de este animal cobrir as vacas que ele tinha na sua terra.
- Nesse mesmo dia, ao meio da manha libertou-o num seu terreno cercado junto com as ditas vacas, o senhor ficou parado a ver, mas o boi teve uma reacção nunca vista, este ficou num canto a olhar sem se mover para as vacas, o tempo foi passando e o senhor, cansado pela hora que tinha perdido a ver, foi embora tendo decidido que ele havia de acabar por fazer algo.
-Não é que o boi fez mesmo algo, rebentou com um bocado da cerca e por mais estranho que pareça, encetou uma viagem de regresso a antiga casa, ainda por cima, conseguindo andar sozinho pelos carreiros que davam á outra aldeia, este já devia ter feito o percurso anteriormente, pois o raio do boi á noitinha já estava pastar nos terrenos do antigo dono. Ah, ah, ah.
Mas durante a tarde:
- Depois de almoçar o novo dono deu por falta dele e andou, andou, á procura do boi fugido, nunca o conseguindo ver, por vergonha não pediu ajuda a ninguém, o tempo estava a ficar escuro e decidiu procura-lo de manha, pensando ele que o raio boi não iria longe.
---- O antigo dono deu por ele e fartou-se de rir dizendo.
- Então meu malandro, não gosta da companhia das novas vacas.
-Este apenas respondeu com Mu, Muuuu, como disse-se que sim, Ah, ah, ah.
A história acaba com o antigo dono a devolver o dinheiro ao senhor que o tinha comprado.
Foi o fim desta história, de outras que irei contar. (Ps: claro que isto contado por aquele senhor que o tinha vendido, teve mais graça do que escrito assim)

Bom por hoje é tudo pessoal amigo, fiquem bem e alegria.
Já agora, não olvidar: PENSAMENTOS

- "A rapariga que leva a vida à espera do seu príncipe encantado, um dia, fatalmente, encontrará um sapo."

- "Não quero ser feliz contigo mas principalmente fazer-te feliz Comigo!"

- "Todos te elogiaram, menos eu. Todos te amaram, menos eu. Com o tempo todos te esqueceram, menos eu!"

terça-feira, 28 de outubro de 2008

HÁ DIAS QUE DEVIA ……….

Há dias que devia dedicar-me a jogar ténis, nem que fosse só para descarregar a tensão acumulada nas batidas de bola,
Estou arrasado da mente, tive hoje que suportar outra vez uma certa e determinada pessoa, ocupando-me bastante tempo, que por esta altura já deveria saber o que é respeito pelos outros, que tentam trabalhar com honestidade e lealdade nos seus princípios.
Fez-me uma proposta de uma mudança de vida profissional, com características escuras ou corruptas, a mim, ainda por cima conhecendo-me perfeitamente a minha personalidade, posso ser bom no que faço, mas nunca iria aproveitar de situações sociais, que viriam prejudicar a minha carteira de clientes e amigos.
Diplomaticamente disse não, mas fiquei prevenido com as próximas atitudes desta pessoa, que espero que não volte a passar á minha frente em situações sociais ou não.

Anda cada um por este Mundo.

PENSAMENTOS

- "O prazer dos Grandes Homens consiste em tornar os outros mais felizes." (Pascal)

- "Sentir piedade de um ser humano, è conduzi-lo á destruição."

- "Se a preguiça fosse algo errado, ainda andávamos todos a pé!"

- "O mundo pertence aqueles que acreditam na beleza de seus sonhos"

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

DIA DE DEVERES DE UM FILHO

Um normal princípio de semana, ir á companhia, verificar trabalho e sair, tudo bem até aqui, mas hoje tenho algo mais a tratar.
Normalmente quando a minha querida mãe vai efectuar a visita de rotina ao seu médico, fica debilitada, tendo eu que ir busca-la e leva-la, preparar o almoço e verificar se, se acalma um pouco, pois ela de há uns tempos para cá anda muito nervosa, já era, mas está a agravar-se, muito por motivos de idade.
Tudo correu bem, a tarde está cinzenta, orvalhada e melancólica por aqui.
Está boa para recolher ao lar, por isso pessoal.
PENSAMENTOS
- "Feliz é aquele que tem, um brilho no olhar, um sorriso na boca, e um coração para amar."


- "Acredite firmemente no seu génio criador na força activa da mente, nas maravilhas do amor...


- "Nunca digas que és inútil por não ter conseguido o teu grande amor. Pois inútil foi aquele que não te soube amar."

- "Sofrer e chorar significa viver."


- "Se a vida lhe negou um sonho, mostre-lhe que você é forte o bastante para lhe negar uma lágrima."


- "Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinhos, outras há que sorriem por saber que os espinhos têm rosas."