sexta-feira, 27 de março de 2009

ATÉ QUE ENFIM…

Amanha, tenho de trabalhar menos, espero não ser perturbado por nada deste Mundo, pois estou a contar em descansar o máximo possível, estou de rastos com tanta azáfama desta semana na qual só tive um dia de pouco serviço laboral.
Bem ai mais uns dias preocupantes e quero estar á altura para os enfrentar com uma frescura mental e física, isto para que consiga estar sempre com a minha alegria contagiante e positiva.
È como eu sempre digo o passado foi-se, o presente terá de ser vivido em pleno e o futuro logo, perto ou longe se verá.
Como disse, entrei em marcha lenta, o que irei fazer para o jantar será “Cherne”
INGREDIENTES
600 gr – Peixe Cherne
(?) - Sumo e raspa de um limão
1 - Cebola média
1 - Colher de sopa de manteiga (Não cheia)
1 dl - De vinho branco
1 – Folha de louro pequena
(?) – Sumo de uma laranja
1 – Colher de sopa de alcaparras
(?) – Sal e pimenta preta (qb)
(?) – Batatas (qb)
PREPARAÇÃO
Em primeiro temperei os filetes com sumo de limão, sal e pimenta preta, deixei-os a marinar durante 30 minutos.
Descasquei as batatas para coser.
Piquei a cebola.
Num tacho, deitei metade da colher da manteiga e deitei a cebola só para alourar, quando ela estiver translúcida, adicionei o vinho branco, a folha de louro, o sumo de laranja, a raspa do limão e a restante manteiga da colher, temperei com pimenta preta.
Deixei ferver durante 10 minutos, juntei os filetes e baixei o lume muito brando, sem deixar ferver, durante 15 minutos, se for necessário junta-se mais um pouco de vinho ou sumo de laranja.
Quando estava a ferver o tacho, coloquei outro com as batatas, com um pouco de sal.
Se o molho do peixe estiver muito líquido, é melhor tirar as postas do peixe e colocasse uma colher de chá de maizena desfeita num pouco do sumo de laranja, junta-se ao molho e mexe-se sempre durante cinco minutos.
Coloquei os filetes numa travessa e espalhei as alcaparras e as batatas cozidas.
Estava bastante bom, para o sofá levei o café e…

Baladas Românticas - Verde...
Como era verde este caminho!
Que calmo o céu! Que verde o mar!
E, entre festões, de ninho em ninho,
A Primavera a gorjear!...
Inda me exalta, como um vinho,
Esta fatal recordação!
.
Secou a flor, ficou o espinho...
Como me pesa a solidão!...
Órfão de amor e de carinho,
Órfão da luz do teu olhar,
- Verde também, verde - marinho,
Que eu nunca mais hei de olvidar!
Sob a camisa, alva de linho,
Te palpitava o coração... Ai!
Coração! Peno e definho,
Longe de ti, na solidão!
.
Oh! tu, mais branca do que o arminho,
Mais pálida do que o luar!
- Da sepultura me avizinho,
Sempre que volto a este lugar...
E digo a cada passarinho:
"Não cantes mais! que essa canção
Vem me lembrar que estou sozinho,
No exílio desta solidão!

" No teu jardim, que desalinho!
Que falta faz a tua mão!
Como inda é verde este caminho...
Mas como o afeia a solidão!
(Autor: Olavo Bilac)
Um bom fim-de-semana para vocês, que seja muito agradável, cheio de felicidade e que venha com naturalidade.

4 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO LUÍS, REPOUSA E RETENPEÇA FORÇAS PARA SEGUNDA-FEIRA... É COMO DIZ O VELHO DITADO "ELAS MATAM MAS MOEM"... BOM FIM DE SEMANA AMIGO... EU JÁ JÁ ESTOU DE FIM DE SEMANA PRELONGADO, ATÉ TERÇA-FEIRA...TAMBÉM TIVE UMA SEMANA DE ARREBENTAR... TRABALHEI NO MÍNIMO 16 HORAS POR DIA... FOI DE ARRAZAR...ABRAÇOS DE AMIZADE E CARINHO,
FERNANDINHA

Pelos caminhos da vida. disse...

Relaxe amigo para na semana que esta por vir vc esteja com bastante energias,e que tudo corra bem pra vc.

Fim de semana de luz.

beijooo

Val disse...

Boa noite Luis,aproveite bem seu final de semana .Divirta-se e descanse.Beijos com carinho

Paula disse...

Boa tarde,
Espero que o fim-de-semana tenha mesmo sido de muito descanso...
Beijos,
Paula