sexta-feira, 15 de maio de 2009

UMA VALENTE SEMANA…

Esta foi sem duvida alguma a semana do ano em que tive de dar de mim, mas foi muito produtiva e deveras interessante com situações que apreciei muito.
Não sei se aguentaria efectuar mais dois dias neste ritmo como o que tenho feito desde quarta-feira.
As pessoas excelentes com quem tive de me relacionar durante este tempo fizeram e mantiveram posições sociais a um bom nível, onde os intervenientes se conciliavam nas ideologias que se apresentavam nos diálogos, mantendo sempre um entusiasmante ambiente.
Acabei por conseguir mais uma fase óptima para a minha futura mudança, se continuar assim ainda vou conseguir antecipa-la um mês na finalização do meu projecto.
Não tenho tido muito tempo e também ainda não vai ser hoje que conseguirei cozinhar em casa e tomar o meu café no meu agradável sofá, quem sabe amanha.
Mas mesmo assim vou deixar algo que li pela aurora.

Queria ter você por uma noite.

Queria ter você por uma noite,
para poder te dizer e te mostrar,
o que eu tenho para te oferecer...

Dar-te carinhos,
abraços,
amassos...

Dar-te-ei também,
meu coração,
cheio de amor,
esperança.

Sentimentos que se unem,
e fazem florescer a paixão,
que está presa dentro do meu ser...
Está escondida,
e só se mostrará para você.

Mostrar-te-ei também o caminho,
o caminho da felicidade,
que todos procuram,
mas poucos encontram!

Só aquele de coração puro,
De sentimentos verdadeiros,
Consegue encontrar o caminho
da felicidade plena...
(Desconhecido)

«Sós,
irremediavelmente sós,
como um astro perdido que arrefece.
Todos passam por nós e ninguém nos conhece.
Os que passam e os que ficam.
Todos se desconhecem.
Os astros não se explicam:
arrefecem.
Nesta envolvente solidão compacta,
quer se grite ou não se grite,
nenhum dar-se de dentro se refracta,
nenhum ser nós se transmite.
Quem sente o meu sentimento
sou eu só, e mais ninguém.
Quem sofre o meu sofrimento
sou eu só, e mais ninguém.
Quem estremece este meu estremecimento
sou eu só, e mais ninguém.
Dão-se os lábios, dão-se os braços,
dão-se os olhos, dão-se os dedos,
bocetas de mil segredos
dão-se em pasmados compassos;
dão-se as noites, dão-se os dias,
dão-se aflitivas esmolas,
abrem-se e dão-se corolas
breves das carnes macias;
dão-se os nervos, dá-se a vida,
dá-se o sangue gota a gota,
como uma braçada rota
dá-se tudo e nada fica.»
(Autor: António Gedeâo)
Agradeço-te a ti Natureza, pela Terra e pelo Mar, agradeço ao Sol e á Lua, por uma vida espectacular, repleta de boa saúde e de amizades, nos relaxados momentos de bem-estar.

5 comentários:

Val disse...

Boa noite Luis,que bom que teve uma semana produtiva meu querido.
Parabéns lindo as escolhs de seu poema.
Tenha um final de semana maravilhoso.
Beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDO LUÍS, FICO MUITO FELIZ QUE A VIDA ESTAJA A CORRER COMO DESEJAS... BELOS POEMAS AMIGO!!!
UM BELÍSSIMO FIM DE SEMANA... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

mjf disse...

Olá!
´Gostei de saber que as semana correu bem :=)
O poema é liiindoooo...

Beijicas

Amordemadrugada disse...

bomm fim de semana
beijitos
e obrigada
;)

Val disse...

Boa noite Luis,hoje trouxe um poema a você meu querido amigo.Amizades são feitas de pedacinhos. Pedacinhos de tempo que vivemos com cada pessoa. Não importa a quantidade de tempo que passamos com cada amigo, mas a qualidade do tempo que vivemos com cada pessoa. Cinco minutos podem ter uma importância muito maior do que um dia inteiro.Autor:Desconhecido
Uma linda semana..
Beijos com carinho