domingo, 28 de fevereiro de 2010

MAIS UMA E MAIS UM...

Mais uma bela semana passada e mais um agradável Domingo.
A vida é bela e quando ela nos proporciona muitos agradáveis momentos de prazer ainda melhor, esta é levada com grande entusiasmo.
Não, não me apaixonei por ninguém ainda, ah, ah, ah, ah, nada disso, simplesmente as coisas correm bem em todos os aspectos, no trabalho e na vida social que tenho.
Como eu adoro esta roda do dia a dia bem viva, retiro dai todo o prazer de a conduzir ao meu gosto e sempre evitando os desgostos que teimam a amaldiçoar e a interferir com a minha felicidade, assim, sempre com um sorriso vou distribuindo positividade a amizades, que de alguma forma, começam a perceber que esta é a melhor forma saudável de se ultrapassar os espinhos dolorosos da vida.
Uma verdade, as pessoas não precisam de muito dinheiro para serem felizes, precisam sim controlar os elevados teores de extravagâncias em consumismos.
Mais vale amar muito a vida, do que a viver em ansiedade e agonia.
Ser-se ambicioso (a) é bom, mas só quando a ambição não é superior e deprimente dentro da racionalidade na sua saudável concretização.
Bem uma receita de quarta-feira.
INGREDIENTES
500 gr – Grão de bico
100 gr – Macarrão (tubo)
150 gr – Carne de vaca
150 gr – Entrecosto (sem muita gordura)
2 – Coxas de galinha
1 – Chouriço de carne pequeno
1 – Cebola média
1 – Dente de alho
1 – Cenoura média
2 – Batatas
½ - Couve (Coração de boi)
(qb) – Sal
PREPARAÇÃO
No dia anterior, lavei o grão-de-bico e coloquei-o numa taça com água fria e um pouquinho de sal.
No dia seguinte, retirei o grão e num tacho com nova água cozi-o.
Fui descascando a cenoura, a cebola, o alho e as batatas, esfarrapei as folhas da couve, coloquei tudo numa taça com água.
Depois deste estar quase cozido o grão-de-bico, retirei-o do tacho e na água que ficou do grão, coloquei as peças de carne inteiras, acrescentei um pouco de sal e fui vendo se estavam cozidas, pois o tempo depende da carne.
Depois das carnes cozidas, retirei-as e deixei a água no tacho.
Piquei a cebola e o alho, cortei e a cenoura ás rodelas coloquei tudo a ferver, adicionei mais um pouco de água ao caldo da carne e do grão.
Passados 10 minutos coloquei a massa e as batatas em cubinhos.
Peguei nas carnes e cortei o chouriço ás rodelas, desfiei as pernas de frango, cortei o entrecosto e cortei a carne de vaca aos pedacinhos.
Mais ou menos 15 minutos, coloquei as carnes, o grão-de-bico e os pedaços de couve, verifiquei o sal.
Deixei ligar tudo um pouco e ficou pronto.
Mas também passei momentos agradáveis no sofá, bebendo o cafezinho e lendo um bocadinho.
Meu Filho

Voar alto...
Procurar céus azuis e profusão de luz.
Cantar forte e belo.
Construir o ninho pacientemente,
Escolhendo graveto por graveto.
Selecionar e não desperdiçar os frutos que nos
alimentam.
Ser pacífico, mas suficientemente forte
para nos defendermos.
Estar adaptado aos tempos de inverno.
Sair chilreando, alegremente, entre todas as
flores, anunciando a primavera.
Mostrar a toda as crianças que a única coisa
que pode interromper a alegria da vida
é o segredo da morte.
Esta é a história que um passarinho
contou a um menino
(Silva Rego)

Palavras
Podemos dizer palavras
Até se não temos voz
Palavras são como olhos
O retrato vivo da alma
Devemos falar e cantar
Pois estamos aqui
Engolidos por certezas e incertezas
Temos olhos de pássaros
Então falamos
De asas que voam
Do sol que brilha
De estrelas, astros e mais...
Falamos de asas que nos carregam
Falamos também de poesia
Poesia que nos mata a dor
Do coração que já conhecemos
Aquele que ama profundamente
Mesmo quando se encontra perdido
É preciso falar enquanto estamos vivos
Antes que morra nossa voz
Falarmos até no dormir
Para que não se esqueçam de nós
Falarmos na embriaguez
Sussurrarmos na própria orelha
Matarmos a surdez de quem não escuta
A mudez de quem não fala
Sermos mensageiros da fala
Comunicarmos com o coração
Gritarmos a palavra pelas ruas
Mostrarmos o poder da comunicação
Falarmos de toda alegria
Gritarmos
Palavras de fantasia
Gritarmos a riqueza da palavra
É preciso gritar palavras
Falarmos dos direitos humanos
Falarmos de sonhos esquecidos
Os pássaros falam com asas e olhos
Os pássaros cantam palavras
Porém eu escrevo palavras
Palavras escritas em poesias
Falas do meu coração
Eu canto também palavras
Caminho minhas próprias palavras
Falas e lágrimas da paixão
Escritas com toda emoção.
(Bernardes da Silva)
Que a vossa vida vos dê sempre alegrias para um belissimo e bom viver.

5 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

"Ao nascer de mais um dia, tudo é lindo e maravilhoso. O caminho que se prossegue, a verdade que se faz presente e a vida que se expressa são os dons da plenitude Divina."

Um gde abraço e uma semana de gdes surpresas.

beijooo.

Amordemadrugada disse...

Olá Luís1
Bgda pelo interesse|! è facil votar!
Eu entro com o seu mail e depois o Luis recebe um e mail com um link
clik no link e eu voto por si com o seu mail
mas se quiser, vai ao site da benetton, e onde diz Sign up o luis clika e regista-se com o seu mail...recebe o tal e mail...com o link
carrega no link e entao é só votar..
bgda
besito

Val disse...

Boa noite Luiz!!! A amizade é sem dúvida algo que se deve preservar como uma das maiores relíquias que temos.
Sua receita esta maravilhosa!!!Parabéns uma ótima escolha Bernardes da Silva.Luis,tenha uma semana feliz!!!!
Beijos com carinho

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma Boa Noite repleta de Carinho..
Uma Boa Noite recheada com muita Fé...
Uma Boa Noite imensa com Afeto...
Uma Boa Noite esplendorosa de Luz...
Uma Boa Noite forte com Energia...
Uma Boa Noite encharcada de Coragem...
Uma Boa Noite embrulhada de Esperança...
E uma Boa Noite cheia de Alegria.

beijooo.

Filoxera disse...

É difícil, porém, evitar a ansiedade, sobretudo em algumas fases da vida. Não basta ter consciência...
Beijinhos.