terça-feira, 18 de agosto de 2009

DESCANSO À BEIRA RIO…


Hoje tirei o um pouco do dia para relaxar num espaço que está muito bonito, tem um restaurante bastante agradável com um bom parque de estacionamento, duas piscinas e um rio que passa calmo e límpido.
Existe uma harmonia silenciosa pois o local é distante de aglomerados habitacionais, a natureza está muito presente com o seu agradável ambiente natural.
As pessoas são excelentes, tornando ainda melhor a estadia sociável e calma naquele local.
Sai de lá parecendo outra pessoa, com um lindo e enorme vazio, sentindo-me leve sem pressões nem preocupações, sem pressa nenhuma de voltar para a cidade dos ruídos e confusões, simplesmente com vontade de continuar a vaguear nos imensos pensamentos que criam uma ilusão de felicidade plena de se estar vivo num local tão pacifico e relaxador.
Tenho em mim uma força que me protege dos maus pensamentos, a vida para mim é maravilhosa, tudo isto motivado por ser feliz como sou, simples e sem pressas na realização das ambições naturais da vida.
A vida não foi feita para ser vivida a correr, mas sim para se saborear com vagar o seu normal decorrer.
A noite está quente e boa para ler algo como isto.

A RECEITA do AMOR

Qual seria o melhor modo de amar?
De que maneira cultivar as emoções?...
Sob o cansaço de minhas desilusões,
Uma receita de amor eu fui buscar.

Em que consiste o amor certo, ideal?...
Na poesia, as respostas procurei,
Meus baús de antigos casos revirei,
Pra concluir que deve ser essencial.

Infinito, muito forte “em grandeza”,
Impecável, raro e doce “em pureza”,
Exemplar, “baseado na lealdade”,

Gerar desejo, eterna fonte de paixão,
Nau serena em mares de compreensão,
A flutuar em ondas de felicidade…
(Autoria: Oriza Martins)

A ARTE DE SER FELIZ

Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim
não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que
caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola.
Pardais que pulam pelo muro.
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como reflectidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.
Ás vezes, um galo canta.
Às vezes, um avião passa.
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.
(Autoria: Cecília Meireles)

Fiquem bem desfrutando o melhor, nem que seja pequeno da vida.

5 comentários:

Paula disse...

Bom dia,
Parece mesmo ser um local agradável... Mas desculpa a sinceredidade, na foto estás com um ar pouco relaxado, para não dizer "quase zangado"...
Beijocas:)
Sorri!!!

O QUATORZE disse...

Não zangado, espantado com o que vi, ah,ah,ah,

Amordemadrugada disse...

Eh lá!
Isso é só passear senhor Luis!
Mas que local maravilhoso! Isso nao é Castanheira de pera, é!?
É simplesmente maravilhoso.exactamente o ke me está a faltar!
Pena eu não conseguir estar em lugares de altitude elevada, já que tenho cá uma fobia a alturas...esses locais geralmente sao em serrar, né?
Muito bonito
faz bem divertir-se meu amigo
e nao quer mandar praki um pouko desse positivismo??'
lol
besito

Amordemadrugada disse...

Sao em SERRAS* melhor dizendo
ihih

sonhos disse...

Olá Luis

Estive lendo um pouco do que tens escrito,pois minha ausencia foi um pouco longa, e já agora ficas a saber que minha mãe de Alendroal, eu vivi lá quase 3 anos quando vim de Angola e mantenho ainda boas amizades. Este lugar é um paraiso sem duvida alguma com sua harmonia e ambiente. bejinhos