domingo, 21 de março de 2010

LIMPAR PORTUGAL

Uma enormíssima contribuição humanitária para o bem-estar da natureza e seus habitantes, a boa vontade por parte de alguma da população, deu mais beleza e saúde a Portugal.

Um grande feito, que deveria ser imensamente aplaudido, que este sirva de exemplo para aqueles que inconscientemente contribuíram para sanar o caos que se encontravam alguns locais naturais em Portugal.

Cavaco Silva também esteve pela manhã a ajudar a limpar Portugal. O Presidente da República juntou-se a alunos, pais e professores da escola Básica 2+3 de Sarrazola, em Colares, Sintra, e todos juntos foram limpar o pinhal do Banzão.

O Presidente da Republica deu o bom exemplo de civismo ao povo pelo facto de se juntar na “Limpeza de Portugal”.
Todos deveriam separar e se possivel reciclar os detritos que originam nas suas vidas diárias.
Luis, o poeta, salva a nado o poema
Era uma vezum português
de Portugal.
O nome Luís
há-de bastar
toda a nação
ouviu falar.
Estala a guerra
e Portugal
chama Luís
para embarcar.
Na guerra ando
ua guerrear
e perde um olho
por Portugal.
Livre da morte
pôs-se a contar
o que sabia
de Portugal.
Dias e dias
grande pensar
juntou Luís
a recordar.
Ficou um livro
ao terminar.
muito importante
para estudar:
Ia num barco
ia no mar
e a tormenta
vá d'estalar.
Mais do que a vida
há-de guardar
o barco a pique
Luís a nadar.
Fora da água
um braço no ar
na mão o livro
há-de salvar.
Nada que nada
sempre a nadar
livro perdido
no alto mar._
Mar ignorante
que queres roubar?
A minha vida
ou este cantar?
A vida é minha
ta posso dar
mas este livro
há-de ficar.
Estas palavras
hão-de durar
por minha vidaq
uero jurar.
Tira-me as forças
podes matar
a minha alma
sabe voar.
Sou português
de Portugal
depois de morto
não vou mudar.
Sou português
de Portugal
acaba a vida
e sigo igual.
Meu corpo é Terra
de Portugal
e morto é ilha
no alto mar.
Há portugueses
a navegar
por sobre as ondas
me hão-de achar.
A vida morta
aqui a boiar
mas não o livro
se há-de molhar.
Estas palavras
vão alegrar
a minha gente
de um só pensar.
À nossa terra
irão parar
lá toda a gente
há-de gostar.
Só uma coisa
vão olvidar
o seu autor
aqui a nadar.
É fado nosso
é nacional
não há portugueses
há Portugal.
Saudades tenho
mil e sem par
saudade é vida
sem se lograr.
A minha vida
vai acabar
mas estes versos
hão-de gravar.
O livro é este
é este o canto
assim se pensa
em Portugal.
Depois de pronto
faltava dar
a minha vida
para o salvar.
(Autor: Almada Negreiros)
Fiquem bem e salvem a vossa verdejante naturreza.

4 comentários:

FERNANDINHA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDO LUÍS, DESEJO-TE UM MARAVILHOSO DOMINGO E UMA SEMANA FELIZ... ABRAÇOS DE CARINHO E AMIZADE,
FERNANDINHA

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma gde e importante iniciativa,Limpar Portugal.

Uma semana de muitas bençãos amigo.

beijooo.

Amordemadrugada disse...

Andou tb a limpar o país Amiguito?
eu sou preguiçosa pra essas tretas
é td mentira!
amanhã sujam o dobro...
Luís, tenha uma maravilhosa semana
beso

Amordemadrugada disse...

entao desaparecido, tenha um bom fim d e semana
beso